quarta-feira, 30 de março de 2011

Abacaxi e banana viram superplástico para setor automotivo

Material desenvolvido na Unesp torna plástico 30% mais leve e até quatro vezes mais resistente

Um superplástico para carros feito com fibras retiradas de abacaxi e banana foi desenvolvido por pesquisadores brasileiros. Pequenas quantidades das fibras destas plantas, quando adicionadas a plásticos resultam em materiais muito mais leves e resistentes. Segundo Alcides Leão, da Universidade Paulista (Unesp), as propriedades desse plástico são "incríveis".

"Eles são leves, mas muito fortes - 30% mais leves e entre três e quatro vezes mais fortes", afirma o pesquisador. De acordo com ele, o plástico poderá ser usado na fabricação de diversas partes de carros, como para-choques e painéis.

O plástico criado tem outra vantagem: em os carros ficando mais leves, há uma economia de combustível. Leão afirma que esses plásticos poderão ser usados em dois anos.

"O resultado tem a ver com o tamanho das nanopartículas. O fato de ser pequena dá mais interação entre as fibras, diminui a distância entre elas, tornando-as mais resistentes e leves", diz Leão.

O processo para produzir este material chamado nanocelulose é caro, mas a matéria prima é baratíssima. Estima-se que um quilo de fibra de fruta custe apenas um real. Para preparar a nanocelulose a partir das fibras da fruta, os pesquisadores inserem as folhas do abacaxi ou parte do tronco da bananeira em um equipamento que se assemelha a uma panela de pressão. Em seguida adicionam alguns produtos químicos. O material é então aquecido em vários ciclos e o resultado é um material semelhante ao talco.

Em 2009, outro brasileiro, professor de engenharia química, Leonardo Simon, mostrou na Universidade de Waterloo, no Canadá, que a palha do trigo poderia fazer parte de peças de veículos e substituir materiais não renováveis obtidos por meio da mineração. A palha é uma alternativa viável ao uso de carbonato de cálcio, talco e mica.

Transformada em um pó, ela é misturada com polipropileno (plástico) e pode formar peças tanto para a parte interna, como para a parte externa de veículos. No ano passado, o novo plástico já era utilizado em algumas peças do carro Ford Flex.

sábado, 18 de setembro de 2010

Inscrição para Campus Party 2010 custará R$ 150,00

As vendas de ingressos começam dia 20/09 (segunda-feira) e terão desconto de R$ 20,00 no primeiro mês de vendas.

As vendas de ingressos para o Campus Party 2010, que será realizada entre 17 a 23 de janeiro de 2011, começam nessa segunda (20/09/2010). Segundo o blog oficial do evento, os campuseiros pagarão R$ 150,00 para participar.

Porém, no primeiro mês de vendas, os ingressos terão desconto e serão vendidos por R$ 130,00, e na primeira semana de vendas apenas os ex-campuseiros poderão comprar ingressos com desconto. As vagas para o camping também começam a ser comercializadas no dia 20 de setembro, por R$ 20,00 o campuseiro acampa por todo o evento.

Para fazer sua inscrição acesse o site oficial do Campus Party 2011 e preencha o cadastro no site. Após preencher seu cadastro você terá acesso à programação do evento.

sábado, 11 de setembro de 2010

Campus Party 2011 terá a participação de Al Gore, vencedor do Nobel da Paz

A quarta edição do Campus Party 2011, que será realizada em São Paulo, no Centro de Exposições Imigrantes, de 17 a 23 de janeiro, contará com a participação de Al Gore, vencedor do Nobel da Paz e ex-vice-presidente dos Estados Unidos. As inscrições para as 6,5 mil vagas (pagas) estarão abertas a partir de 20 de setembro e ainda não tiveram os preços para a quarta edição anunciados.


Barracas do Campus Party 2010, onde os "campuseiros" acamparam por uma semana.

Acampamento digital
A Campus Party é um evento realizado anualmente na Espanha, Brasil, Colômbia e México, e que reúne fãs de tecnologia em um grande acampamento digital, com barracas para os participantes poderem dormir no próprio local enquanto são realizadas palestras e workshops. O Brasil foi o primeiro país a receber o evento fora da Espanha, a nação de origem do Campus Party.

A última edição realizada no Brasil, no início desse ano, reuniu cerca de 6 mil internautas e ofereceu uma velocidade de conexão de 10 Gbps (Gigabits por segundo) aos participantes.